Principais obras no Museu do Prado

Fachada do Museo do Prado porta de Goya

Andrea Lima

Sou a fundadora de Descubra Madrid Concierge. Meu realizo quando consigo que meus clientes retorna a suas casa, com um desejo de regressar à Madrid!

23 de septiembre de 2019

O Museu do Prado completa 200 anos de fundação em 2019.

Considerado uma das pinacotecas mais importantes do mundo, a coleção teve sua origem com o acervo reunido pelos reis espanhóis ao longo de séculos de compras e doações. Também completaram obras provenientes do Museu da Trindade, que reunia arte sacra e do então Museu de Arte Moderna, criado para abrigar pinturas e esculturas do século XIX.

São mais de 1000 peças expostas, entre quadros, joias, móveis, esculturas e desenhos, no fabuloso edificio construído por Juan de Villanueva para ser o Real Gabinete de História Natural, durante o reinado de Carlos III.

Anos mais tarde, em 1819, a rainha Maria Isabel de Bragança (irmã de Dom Pedro I, do Brasil), casada com o rei Dom Fernando VII, tem a ideia de reunir os melhores quadros da coleção real no prédio do Real Gabinete. Infelizmente, é impossível ver todas aquelas belezas que fazem parte da exposição permanente. Por isso, propomos um recorrido de duas horas, pelas obras mais significativas, a fim de que o visitante possa desfrutar o máximo da experiência que é visitar o Prado.

Abaixo, algumas das obras que contemplamos durante nosso tour:

Las Meninas, Diego Velázquez (1656) – a grande estrela da coleção fica no centro do museu, na sala 12, rodeada de várias obras do maior pintor espanhol, o sevilhano Diego Velázquez y Silva. O quadro retrata a família do rei Felipe IV no estúdio do pintor e mostra a infanta Margarita ao centro da composição servida por suas meninas.

Jardim das Delícias, El Bosco (1500-1505) – um dos quadros mais enigmáticos do acervo do Museu do Prado é, sem dúvida, este tríptico de El Bosco (ou Bosch). Trata-se de uma pintura sobre madeira onde estão descritas com detalhes o Paraíso, a humanidade entregue aos pecados e as consequências, ou seja, o inferno.

O cavalheiro com a mão no peito, El Greco (1578-1580) – El Greco foi um dos mais originais pintores de todos os tempos. Sua obra se afasta do estilo dos seus contemporâneos, mas supera em originalidade devido às suas figuras compridas, o uso das cores e a capacidade de plasmar numa só tela várias cenas. “O cavalheiro com a mão no peito” é um retratato de identidade desconhecida e mostra o protótipo do nobre espanhol, consciente da sua posição e que nos olha diretamente.

Os fuzilamentos de três de Maio, Francisco de Goya (1814) – mais um artista que está bem representado no Museu do Prado. Esta obra faz referência ao fuzilamento de vários madrilenhos pelas tropas napoleônicas quando os franceses haviam invadido a capital espanhola. Na pintura se vê o drama das vítimas e a brutalidade dos soldados que atiram a pouca distância. Esses são apenas um exemplo do que vemos nesta maravilhosa pinacoteca! No entanto, há muito mais: “As Três Graças”, de Rubens; a “Mona Lisa”, de um discípulo de Leonardo da Vinci; as “Pinturas Negras”, de Goya; “Saturno devorando seu filho”, de Rubens; “Anunciação”, de Fra Angelico; “Retrato da Família de Felipe V” de Louis-Michel Van Loo.

Vamos conhecê-los?

Também pode estar interessado em…

Principais obras no Museu do Prado.

Principais obras no Museu do Prado.

Um museu com pouco mais de 200 anos de existência naturalmente abriga uma coleção extensa e valiosa. Agora, se parte deste acervo resulta do colecionismo de reis, rainhas e casas reais ao longo de quatro séculos, certamente falamos de uma compilação de arte universal das mais destacadas do mundo. Este é Museu Nacional do Prado, em Madrid, a maior pinacoteca espanhola e considerada uma das dez mais importantes do planeta.

0 comentarios

Enviar un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Pin It on Pinterest

Share This